Gastronomia como Economia Criativa
A Coordenadora do curso de gastronomia Unifil, Cláudia Oliveira, falou no ciclo de palestras de Economia Criativa do Fórum Desenvolve Londrina, sobre o potencial da gastronomia dentro da economia londrinense.
15/05/2018

Cláudia Oliveira, professora e coordenadora do Curso de Gastronomia da Unifil, apresentou aos representantes do Fórum Desenvolve Londrina, a importância da Gastronomia como Economia Criativa para Londrina e o país. Ela fez palestra na última quinta-feira, 10 de maio, como convidada.


Segundo dados de 2009 da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL) e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o brasileiro gasta cerca de 25% da renda, com alimentação fora de casa. E ainda, a Gastronomia representa 2,7 no PIB nacional.

Cláudia afirma que esses dados mostram o crescimentoda gastronomia dentro da economia, chegando a 1,5 milhão de empregos formais, resultandona propagação da criatividade no ramo alimentar, como os Food Trucks, as feiras livres e muito mais.

De acordo com ela, Londrina e região ainda não têm um prato típico como em outras localidades, mas isso não interfere no avanço da gastronomia na cidadee é uma questão de organização. A professora mostrou durante a palestra o crescimento e a diversidade gastronômica de Londrina e que cada dia mais as pessoas procuram se profissionalizar no setor.

“Quando comecei a dar aula, há nove anos, muitos alimentos tinham que vir de São Paulo, não tínhamos tudo aqui. Hoje, é visível o crescimento do setor na cidade. Londrina tem uma variedade de restaurantes que se hospedaram aqui, assim como escolas e faculdades de gastronomia. Com certeza esse é um dos ramos mais importantes para a economia criativa. Londrina tem um potencial gigante para isso”, relata Cláudia.

A palestrante concluiu que devemos pensar na Gastronomia Sustentável - visão de futuro da ONU - também como Economia Criativa, já que dados do IBGE mostram que o brasileiro descarta cerca de 300 quilos de alimentos por ano, seja por falta de consumo no prazo ou por desperdício. E por fim, Cláudia Oliveira afirmou que a Gastronomia é um dos canais para acabar com a fome no mundo.